sábado, 23 de agosto de 2008

Vitória construída na primeira parte

Jogo manchado pela arbitragem



Sporting-3, Trofense-1 ;

Entrou com garra o Sporting na Liga Sagres. Com meia hora de jogo os "leões" já venciam por três bolas a zero o Trofense que é estreante nestas andanças.
Tonel com um grande cabeceamento logo aos 5' minutos fez assim o primeiro e aos 24' Izmailov ampliava a vantagem. Quatro minutos precisou o Sporting mais para fazer o terceiro. Aos 28' Yannick continuou a mostrar que anda de pontaria afinada e desta vez com um bonito toque de calcanhar fez a bola entrar na baliza da equipa de Trofa.
Após esta primeira parte em que o Sporting dominou por completo e fez prometer uma goleada, seguiu-se um segundo tempo completamente distinto. Talvez por culpa da equipa de arbitragem que aos 58' minutos expusou o central Anderson Polga(e aqui talvez bem) e assinalou uma grande penalidade(escandalosa numa falta que foi cometida cerca de dois metros antes da linha da grande área!). O Trofense pois claro aproveitou por Pinheiro, e reduziu assim para 3-1. O Sporting acusou o golo e a expulsão e até final, num ritmo de jogo muito menos intenso, o Trofense estando a jogar com mais uma unidade aproveitou para se aproximar da baliza "leonina" mas o resultado não se alterou. O Sporting conseguiu uma vitória que só não foi totalmente tranquila por culpa do erro cometido pela equipa de arbitragem e que Paulo Bento fez também questão de fazer referência no fim da partida.
A próxima jornada promete ser difícil visto que os "leões" se deslocam a Braga e não vão poder contar então com Anderson Polga no eixo da defesa.

4 comentários:

Ricky_cord disse...

Boa vitória que podia ter sido mais tranquila não fosse o clamoroso erro do assistente. Primeira jornada e primeiro erro grosseiro de uma equipa de arbitragem... Mais do mesmo

Renata A. disse...

Foi um bom jogo do Sporting, principalmente na primeira parte, que foi de sentido único: sempre em direcção à baliza do Trofense.
Na segunda parte em virtude da grande penalidade muito mal assinalada, os leões ficaram algo desorientados em campo e o Trofense aproveitou para criar mais perigo junta da baliza de Patrício. No global, foi uma boa entrada do leão.

SL

Fora de jogo disse...

Bem para mim o Sporting jogou bem e mereceu por completo a vitória. Qt ao penalti, agora acabei de ler isto no jornal Record....

Contra o coro de críticas, protestos e até ameaças que começaram em Paulo Bento e se espalharam em rede por comentadores encartados, ex-árbitros-comentadores e outros especialistas, o penálti assinalado pelo juiz-auxiliar Luís Ramos, que o árbitro Paulo Baptista confirmou, foi bem assinalado. Tem, pelo menos, uma base regulamentar aplicável. Trata-se, de resto, de uma conhecida recomendação do International Board, a que a FIFA deu seguimento, e que, pelo menos os senhores árbitros tinham obrigação de conhecer, a começar pelo sr. Paulo Baptista.

Que diz a tal recomendação? Que os senhores árbitros, perante um jogador defensivo que inicie uma acção faltosa sobre um atacante fora da grande área (por ex., um agarrão), que venha a terminar dentro da grande área, devem assinalar grande penalidade! Precisamente o que aconteceu (o agarrão do texto da recomendação é apenas um exemplo) no jogo de sábado entre o Sporting e o assustador Trofense.

O mais surpreendente em tudo isto foram as proporções do protesto “oficial” leonino em relação a uma jogada quando a equipa já ganhava, não ao FC Porto ou ao Benfica, mas ao Trofense, e por uma margem folgada (3-0), uma jogada, como se viu, sem consequências para os donos da casa (a expulsão de Polga era inevitável, em qualquer circunstância). Mas eis que, de súbito, como se se tratasse do principal jogo da jornada, colunistas, especialistas e alguns jornalistas apareceram a fazer amém às queixas de Paulo Bento, arrasando, não o árbitro Paulo Baptista, que pôs o rabinho de fora, reconhecendo um erro que não cometeu, mas o pobre juiz auxiliar Luís Ramos.

Um jornal desportivo, como quem colabora para o clima de violência social de um País que deixou de ser de brandos costumes, anunciava ontem em parangonas balísticas que “Luís Ramos está sob a mira da SAD leonina”. O que é preocupante, para lá do surto de amnésia colectiva sobre normas regulamentares que deviam ser conhecidas, e respeitadas, é a dimensão das reacções a uma decisão de uma equipa de arbitragem, sem consequências, num jogo em que os donos da casa esmagaram o seu frágil adversário. O que não seria, se fosse num jogo importante e uma decisão com influência no resultado?

As generalizações sobre a arbitragem feitas pelo treinador do Sporting, antes e depois deste caso, no seu estilo sincopado e repetitivo, mostram, aliás, um Paulo Bento tenso e irritável (como se viu nalgumas respostas a jornalistas), o que constitui para mim, que o tinha por um homem tranquilo, uma surpresa. E um mau sinal para, como acentua sempre o doutor Hermínio, esta Liga Sagres…sem álcool.

Visconde disse...

Uma verdadeira entrada de leão. O Sporting matou o jogo em 30" e dps geriu a seu belo prazer tendo desperdiçado mais um par de boas ocasiões.
Não fosse a "burrice" de Polga e o ceguismo da equipa de arbitragem e teria sido um jogo exemplar. Assim é preciso refectir para o futuro próximo.

SL

PS - O Leão Rampante foi linkado no Visconde de Alvalade.