domingo, 17 de agosto de 2008

O primeiro troféu da época

Super Yannick resolve Supertaça



Sporting-2, FC Porto-0 ;

Em encontro disputado no Algarve, o Sporting conquistou a sétima Supertaça da sua história ao levar de vencida o FC Porto por duas bolas a zero.
Foi mesmo uma entrada de "leão" este início de época do Sporting, juntando á vitória sobre os "dragões" e a respectiva conquista da Supertaça, uma grande exibição mostrando grande capacidade de concentração, estando bem organizado tacticamente e a querer sempre a bola em seu poder. Após este dominío contra os "azuis e brancos" esperam todos os adeptos "leoninos" que seja o pronúncio de uma excelente temporada e que seja a época do "leão"!
A Paulo Bento já lhe chamam o 'papa-taças'. Em cinco finais ganhou quatro(apenas saiu derrotado na final da Taça da Liga da época passada).
Apesar de toda a equipa ter estado em grande plano há que destacar Yannick - a figura do jogo - que fez os dois golos da equipa(e até podia ter chegado ao "hat-trick" aos 86 minutos quando fez a bola embater na barra) mas também Rui Patricio que esteve em noite de afirmação fazendo quase meia-dúzia de grandes defesas(defendendo inclusivé uma grande penalidade de Lucho Gonzalez).
O Sporting conseguiu assim revalidar assim o troféu que tinha ganho na época passada, igualmente contra o FC Porto.

2 comentários:

Renata A. disse...

Foi uma vitória justa da melhor equipa em campo. Os ~leões estiveram concentrados, empenhados e com espírito de equipa. Djaló resolveu e Patrício defendeu tudo o que havia para defender.
Se continuar assim, este será apenas a primeira conquista esta época.

SL

blackjack disse...

O Sporting foi claramente a equipa mais forte, soube aproveitar as ocasiões de golo, quanto ao Porto também dispôs de boas chances, mas não teve tanta sorte, é claro que na grande penalidade, o mérito vai todo para Rui Patrício, sinceramente na minha opinião um possível nº2 na Selecção Nacional, arredando Daniel Fernandes e disputando o lugar com Eduardo, visto que Quim é o titular indiscutível.